Associação Protectora de Animais do Cadaval

Archive for Agosto, 2008

Diário de um cão

Posted by apacanimaiscadaval em Agosto 31, 2008


 

1ª Semana:
Hoje faz uma semana que nasci! Que alegria ter chegado a este mundo!

1º Mês:
A minha mãe cuida muito bem de mim. É uma mãe exemplar!

2º Mês:
Hoje separaram-me da minha mãe. Ela estava muito inquieta e com os seus olhos disse-me adeus como que esperando que a minha nova “família humana” cuidasse bem de mim, como ela havia feito.

4º Mês:
Cresci muito rápido. Tudo chama à minha atenção. Existem crianças na casa, são como “irmãozinhos”.

5º Mês:
Hoje castigaram-me. A minha dona zangou-se porque fiz xixi dentro de casa… Mas nunca me disseram onde eu deveria fazer. E como durmo na marquise, não aguentei!

6º Mês:
Sou um cão feliz. Tenho o calor de um lar, sinto-me seguro e protegido… Creio que a minha família humana me ama muito… Quando estão a comer convidam-me também. O pátio é só para mim e eu estou sempre a fazer buracos na terra, como os meus antepassados lobos, quando escondiam comida. Nunca me educam! Seguramente porque nada faço de errado!

12º Mês:
Hoje completei um ano. Sou um cão adulto e os meus donos dizem que cresci mais do que eles esperavam. Que orgulhosos devem estar de mim!!!

13º Mês:
Como me senti mal hoje… O meu “irmãozinho” tirou-me a minha bola. Como nunca toco nos seus brinquedos, fui atrás dele e mordi-o, mas como os meus dentes estão muito fortes, magoei-o sem querer. Depois do susto, prenderam-me e quase não me posso mover para tomar um pouco de sol. Dizem que sou ingrato e que me vão deixar em observação (certamente não me vacinaram)… Não entendo o que está a acontecer.

15º Mês:
Tudo mudou… vivo preso no pátio… na corrente… Sinto-me muito só…. a minha família já não me quer… às vezes esquecem-se que tenho fome e sede e quando chove não tenho tecto para me tapar.

16º Mês:
Hoje tiraram-me a corrente. Pensei que me tinham perdoado…Fiquei tão contente que dava saltos de alegria e o meu rabo não parava de abanar. Parece que vou passear com eles. Entrámos no carro e andámos um grande bocado. Quando pararam, abriram a porta e eu desci a correr, feliz, crendo que era um dia de passeio no campo. Não entendo porque fecharam a porta e se foram embora… “Esperem!!!” – Lati. Esqueceram-se de mim! Corri atrás do carro com todas as minhas forças… a angustia aumentou ao perceber que o carro se afastava e eles não paravam. Tinham-me abandonado…

17º Mês:
Procurei em vão encontrar o caminho de volta a casa. Sento-me no caminho, estou perdido e algumas pessoas de bom coração olham-me com tristeza e dão-me de comer… Eu agradeço com um olhar do fundo da minha alma. Porque não me adoptam? Eu seria leal como ninguém. Porém apenas dizem “Pobre cãozinho, deve estar perdido.”.

18º Mês:
No outro dia passei por uma escola e vi muitas crianças e jovens como os meus “irmãozinhos”. Cheguei perto deles e um grupo, aos risos, atirou-me uma chuva de pedras – para ver quem tinha melhor pontaria. Uma dessas pedras atingiu um dos meus olhos, e desde então não vejo.

19º Mês:
Parece mentira, mas quando eu estava mais bonito as pessoas compadeciam-se mais de mim… Agora que estou mais fraco, com aspecto mudado… perdi o meu olho, as pessoas tratam-me aos pontapés quando pretendo deitar-me à sombra.

20º Mês:
Quase não me posso mexer. Hoje ao atravessar a rua por onde passam os carros, um deles atropelou-me. Pelo que sei  estava num lugar seguro chamado sarjeta, mas nunca me vou esquecer do olhar de satisfação do motorista ao faze-lo. Oxalá me tivesse morto… Porém só me partiu as pernas. A dor é terrível, as minhas patas traseiras não me respondem e com dificuldade arrastei-me até uma moita de ervas completamente fora da estrada. Não me posso mover, a dor é insuportável, nunca me abandona. Sinto-me muito mal, estou num lugar húmido e parece que o meu pêlo está a cair. Algumas pessoas passam e não me vêem;  outras dizem “Não te aproximes”. Já estou quase inconsciente. Porém uma força estranha fez-me abrir os olhos. A doçura da sua voz fez-me reagir. “Pobre cãozinho, como te deixaram”, dizia. Junto a ela estava um senhor de roupa branca que começou a tocar-me e disse “Minha senhora, infelizmente este cão não têm remédio que o salve, o melhor é que deixe de sofrer”.
A gentil senhora consentiu com os olhos cheios de lágrimas. Como pude, mexi o rabo e olhei para ela, agradecendo por me ajudar a descansar… Senti somente a picada da injecção e dormi para sempre, pensando em porque nasci se ninguém me queria…

Posted in Diversos | 1 Comment »

A historia de Boris…um cão sem orelhas

Posted by apacanimaiscadaval em Agosto 31, 2008

 

Eu era apenas um cão

Um cão normal, que não fazia mal a ninguém

Até que um dia fui torturado

Massacrado por alguém!

Foi a crueldade dos homens

Aqueles que dizem ser racionais

Cortaram-me as orelhas a sangue frio

E somos nós os animais?!

Eu era amigo, meiguinho e leal

Mas fiquei com medo do mundo

Porque senti uma dor infernal

Fiquei revoltado

Não deixei mais ninguém me tocar

Tornei-me desconfiado

Os meus dias passavam-se a tremer e a rosnar

Mas houve uma miúda

Que sentiu o meu sofrimento

Acolheu-me na sua casa

Tentou tratar-me até ao último momento

Ainda passeei, ainda fui ver o mar

As pessoas chamavam-me “urso”

Porque as minhas orelhas

Foram levadas, arrastadas com o ar

Mas ela gostava de mim

E entendia a minha situação

Eu precisava de carinho

Da bondade do seu coração!!

Mas ela não me fez esquecer

E mesmo querendo ser amigo

Eu tinha medo de sofrer…

O tempo foi passando

Fiquei sujo, perdi o resto da beleza

Caminhava muitas vezes

Mas tropeçava na tristeza

Chamava-me “Ritinho”

Sempre gostou de mim

Mesmo quando os outros diziam que eu metia nojo

Tratou de mim até ao fim

E para quem não entendeu

Que eu rosnava sem maldade

Pensem bem no que me fez

A chamada humanidade?!

Hoje foi o dia da minha morte

Agradeço às poucas pessoas pela bondade

Deste mundo levo uma dúvida

O que fiz para merecer tamanha crueldade?!

Susana Alves

(Publicado na Gazeta das Caldas em 1/07/05)

Posted in Crueldades e Denúncias | 1 Comment »

Apoie a Declaração Universal de Bem-Estar Animal

Posted by apacanimaiscadaval em Agosto 29, 2008

Porque  é que você deve assinar

Declaração Universal de Bem-Estar Animal: um acordo entre pessoas e nações pelo reconhecimento de que os animais são seres sencientes, pelo respeito ao seu bem-estar e pelo fim da crueldade contra os animais – para sempre.

Assinando a Declaração você está ajudando a estabelecer o primeiro acordo internacional sobre bem-estar animal.

O destino final da Declaração Universal de Bem-Estar Animal será a Assembléia Geral das Nações Unidas.

 

Tudo isto em :

http://www.animalsmatter.org/Default.asp?language=portuguese

Assine não custa nada e ajuda os animais …

Posted in Diversos | Leave a Comment »

Alguém que me dê um lar…

Posted by apacanimaiscadaval em Agosto 24, 2008

Olhem bem para mim…não sou uma beleza?!?

Já sofri muito, tentaram envenenar-me depois de ter sido abandonado num sitio onde não conheçia nada nem ninguém.

Ainda tentei encontrar o caminho de volta para casa mas de nada valeu, passei fome e frio…até que umas pessoas que gostam de animais começaram a alimentar-me e a tratar de mim, foi a minha sorte.

No entanto não podem ficar comigo…bem que gostava mas não podem mesmo e eu compreendo, são os meus únicos amigos e têm-me tratado muito bem, foram eles a razão pela qual continue a confiar nos humanos …mas será que não existe ninguém que deseje um amigo fiel,  pois bem esse amigo posso ser eu…tenh esperança e fico à espera de alguém que me queira dar um lar e de  todos os miminhos que tenho direito.

Adoptado

Posted in Animais adoptados | Leave a Comment »

Queremos alguém que cuide de nós…

Posted by apacanimaiscadaval em Agosto 24, 2008

Olá somos a Ema e a Kiara! Temos cerca de 2 meses…

Fomos encontradas por uma amiguinha numa fazendo perto da estrada.

…deixaram-nos sozinhas e assustadas…nós não sabiamos para onde ir e começamos a ganir de aflição.Tivemos sorte desta amiguinha nos ter ouvido senão tinhamos morrido.

Estamos na casa dela e somos bem tratadas mas ela não pode ficar connosco, brincamos muito uma com a outra e sabemos que vamos encontrar alguém que nos queira, que nos trate bem e que jamais nos volte a abandonar…nós prometemos que nos vamos portar bem.

Adoptadas

Posted in Animais adoptados | Leave a Comment »

Assembleia Geral

Posted by apacanimaiscadaval em Agosto 22, 2008

Convidámos todos as pessoas que já se inscreveram para serem sócias da APAC, assim como todas aquelas que o queiram fazer, para comparecerem numa assembleia geral que se realizará no dia 18 de Setembro pelas 21:00 na Junta de Freguesia do Cadaval, a ordem detrabalho será a seguinte:

Aprovação dos Estatutos da Associação;

 Eleição dos corpos Sociais;

Tomada de posse dos Corpos Sociais;

É importante que todos compareçam …

Posted in Sem categoria | Leave a Comment »

Cão Abandonado

Posted by apacanimaiscadaval em Agosto 22, 2008

Um cachorro abandonado, é a maior tristeza.
Revela o Dono desalmado, o mundo perde a beleza.
Mostra o homem cruel, sem pudor na descortesia.
Um aviltante papel, ” O Cão Jamais o Faria”.

Um cachorro abandonado, é a maior decepção.
Revela o Dono despreparado, sem amor e educação
Perdeu a vergonha da cara, é uma podre alegoria.
Isso não é coisa rara, ” O Cão Jamais o Faria”.

Um cachorro abandonado, mostra a maior tirania.
Revela o Dono indelicado, homem sem sabedoria.
É o homem perdido, de tão trágica biografia.
Inconseqüente e desmedido, ” O Cão Jamais o Faria”.

Um cachorro abandonado, é a maior maldade.
Revela o Dono em pecado, e em crime de crueldade.
É uma infeliz maldição, essa tão infame judiaria.
É o homem em degeneração, ” O Cão Jamais o Faria”.

Um cachorro abandonado, é um grande atraso de vida.
O dono é um pobre coitado, que abre horrível ferida.
Uma tortura monstruosa, dos tempos da escravaria.
Uma ação tão criminosa, ” O Cão Jamais a Faria”.

Um cachorro abandonado, é pra toda gente chorar.
Um Dono desmoralizado, é o injusto a se manifestar.
Repugnante imoralidade, tão degradante covardia.
Falta total de civilidade, ” O Cão Jamais o Faria”.

Um cachorro abandonado, é retroceder na História.
Um dono desorientado, na mais infame trajetória.
É um coração sem Jesus, o Dono não tem cidadania.
Falta-lhe consciência e luz, ” O Cão Jamais o Faria”.

Um cachorro abandonado, é mostra de desumanidade.
Revela o Dono endiabrado, sem respeito a comunidade.
Ele não tem coração, e tira dos outros qualquer alegria.
Comportamento de maldição, ” O Cão Jamais o Faria”.

Texto Azuir

Posted in Diversos | Leave a Comment »

Agradecimento ADSCCC – Associação para o Desenvolvimento Social e Cultural do Concelho do Cadaval

Posted by apacanimaiscadaval em Agosto 8, 2008

Agradeçemos à ADSCCC a prestação magnífica que tem tido na divulgação da APAC, as crianças do OTL desta associação procederam no dia 28 de Julho à distribuição de folhetos pela vila do Cadaval.

A nosso pedido vão também contribuir com trabalhos acerca dos animais para apresentar nas Adiafas no espaço da APAC.

Têm sido de um empenho e entusiasmo extraordinário, isto é resultado que temos de continuar com campanhas de sensibilização principalmente junto dos jovens.

Tivemos a oportunidade de lhes mostrar um slide a demonstrar o que os animais sofrem quando são abandonados e um video que retratava a importância das crianças nestas questões.

Mais tarde irei publicar algumas das histórias acerca de animais que estas crianças partilharam comigo, histórias comoventes…de gente de tamanho pequeno mas grande de coração.

Viva as crianças….viva os animais!

Posted in Agradecimentos, Eventos | Leave a Comment »

Indignação…

Posted by apacanimaiscadaval em Agosto 7, 2008

Não pûde deixar de mostrar a minha indignação perante um episódio que vi hoje.

Num parque de estacionamento por aqui nas redondezas,  há uma ninhada de gatos já granditos que por ali andam ao “Deus dará”, apercebi-me de algo colado ao alcatrão do parque, fui averiguar o que era… e fiquei horrorizada quando me apercebi que aquela coisa colada ao alcatrão era nem mais nem menos que um desses gatitos.

 Infelizmente na estrada vê-se por vezes alguns cujo os restos mortais acabam por desapareçer de tanto carro lhes passar por cima, sem ninguém que lhe dê a última dignidade de o tirar na altura da morte do meio da estrada…mas num parque de estacionamento?!?

Eu ia tirar dali o que restava dele, mas era só mesmo o pêlo que restava e estava de tal maneira colado ao pavimento que só iria ficar com um bocado de pêlo na mão.

Agora pergunto, as pessoas são assim tão indiferentes com os animais, que nem se dão ao trabalho de  agarrar num saco e pô-lo para a borda…e como é que num parque de estacionamento se atropela um gatinho???

 Que tristeza…vivemos num mundo de animais e não falo dos gatos é claro.

Posted in Crueldades e Denúncias | 1 Comment »

 
%d bloggers like this: