O “artista” que matou um cão à fome vai repetir o acto!

image0054image0021O ‘Artista’ que matou um cão à fome vai repetir o acto – Ou NÃO! Depende de nós. Vê como.
Como muitos devem saber e até ter protestado, em 2007,Guillermo Vargas Habacuc, um suposto
artista, colheu um cão abandonado de rua, atou-o a uma corda curtíssima na parede de uma galeria de arte e ali o deixou, a morrer lentamente de fome e sede.

Durante vários dias, tanto o autor de semelhante
crueldade, como os visitantes da galeria de arte presenciaram impassíveis à
agonia do pobre animal.

Até que finalmente morreu de inanição,
seguramente depois de ter passado por um doloroso, absurdo e incompreensível
calvário.

image0063

Parece-te forte?

Pois isso não é tudo: a prestigiosa Bienal Centroamericana de Arte
decidiu, incompreensivelmente, que a selvajaria que acabava de ser cometida por
tal sujeito era arte, e deste modo tão incompreensível Guillermo Vargas Habacuc
foi convidado a repetir a sua cruel acção na dita Bienal em
2009.
Facto que podemos tentar impedir, colaborando com a
assinatura nesta petição:

http://www.petitiononline.com/13031953/petition.html
(não tem que se pagar, nem registar) para enviar a petição, de
modo que este homem não seja felicitado nem chamado de ‘artista’ por tão cruel
acto, por semelhante insensibilidade e desfrute com a dor
alheia.

A inércia das pessoas que viram esta agoniante cena é tão grave como o que a criou.

Salvo por gatos!

Salvo por gatos

374945978_6e86f850d8Um menino argentino de um ano sobreviveu durante vários dias sozinho na rua graças a um grupo de gatos, que o manteve quente e lhe trouxe comida.

 

A incrível história – a fazer lembrar a do pequeno Mowgli, personagem principal do ‘Livro da Selva’, da Disney – aconteceu na localidade argentina de Misiones. Ao que tudo indica, o menino, de apenas um ano, vivia na rua com o pai, um sem-abrigo, mas ter–se-á perdido dele.

Sozinho, valeram-lhe oito gatos vadios, que lhe trouxeram comida e o mantiveram quente com os próprios corpos, evitando que morresse de frio nas noites geladas que passou na rua.

O menino foi encontrado na passada quarta-feira por uma mulher-polícia, que estranhou ver um grupo de gatos amontoados em redor de um objecto – era a criança, que dormia serenamente aquecida pelo calor dos corpos dos felinos. Os médicos dizem que o pequeno está bem de saúde, e que só sobreviveu devido à ajuda dos gatos.

Pode ser lida aqui!

Cão salva vida da dona!

dogNão é a primeira vez que ouvimos falar destes casos em que animais salvam a vida aos donos. Hoje foi a vez de uma italiana ser salva pelo seu próprio cão. A cadela de Maria Tripodi chamada Angelina, começou a ter um comportamento estranho em casa. Ela começou a ladrar para a dona e saltou para cima dela fazendo-a cair. Maria que estranhou o comportamento da cadela, levantou-se e decidiu levar a cadela para a sua casota na rua. Foi neste momento que a dona observou surpreendida o tecto da sua casa a cair, caso ela estivesse no interior tinha provavelmente perdido a vida…

Os especialistas dizem que a cadela poderá ter sentido tremores que são demasiado pequenos para Maria ou qualquer outro humano detectarem. É do conhecimento geral que o nosso cão é um amigo fiel e a cadela apenas tentou demonstrar a sua aflição à dona. A história no entanto não deixa de ser inacreditável, tal como são todas as que envolvem animais heróis. Felizmente tudo acabou bem e agora só é necessário um novo telhado para a casa…

 

 

Cães detectam cancros no Homem!

Cães detectam cancros no Homem

Um treino de sete semanas a determinados cães, de raças e idades distintas, poderá ser uma boa forma de detecção do cancro em seres humanos, sustenta um estudo publicado pelo “British Medical Journal”. 

O primeiro caso de sucesso surgiu publicado na revista “The Lancet”, há cinco anos, onde se noticiava o facto de uma mulher de 44 anos que se havia dirigido a uma clínica de Londres com um caroço mínimo no braço, ao qual até aí não havia dado qualquer importância. Segundo a paciente, o seu cão tinha por hábito farejar o caroço, com alguma frequência, o que levou a mulher a consultar um médico, que lhe diagnosticou um cancro de pele, ainda em fase inicial. 

Em finais de 2001, a mesma revista detalhou outros dois casos semelhantes, o primeiro dos quais correspondia a uma mulher com uma mancha numa perna, que o seu cão farejava frequentemente e chegou, inclusive, a tentar morder. Passado pouco tempo, foi-lhe diagnosticado um melanoma. 

No segundo caso, um homem de 66 anos, cujo cão costumava farejar um pequeno eczema que o dono possuía na coxa, foi-lhe diagnosticado um carcinoma de células base. 

De acordo com o último estudo revelado, estes cães são capazes de descobrir se uma pessoa sofre de cancro na bexiga, através, por exemplo, do simples farejar da urina.